Política  /  Brasil    (28/03/2022) 

 

 

 

Dia movimentado, governo Bolsonaro troca comando da Petrobras e da Educação

 

Em uma segunda-feira atípica e especialmente movimentada em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (PL) acertou a saída dos titulares da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, e do Ministério da Educação, Milton Ribeiro. Os dois estavam entre os mais importantes auxiliares do governo federal.

 

Milton caiu em função de denúncias que apontaram para existência de um “gabinete paralelo” no seu ministério, comandado por pastores da igreja evangélica Assembleia de Deus. Entre esses pastores havia um de Goiânia: Gilmar Santos, do Ministério Cristo para Todos.

 

Com ajuda de auxiliares diretos do presidente, o ministro redigiu uma carta que foi entregue ao presidente. No documento, ele afirma que jamais realizou ato de gestão em sua pasta “que não fosse pautado pela correção, pela probidade e pelo compromisso com o erário”.

 

Ribeiro afirmou, no entanto, que tomou a decisão para que “não paire nenhuma incerteza sobre a minha conduta e a do Governo Federal”.

O presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, já foi avisado por integrantes do governo que o presidente Jair Bolsonaro decidiu demiti-lo do comando da petrolífera. Silva e Luna foi comunicado oficialmente da decisão do presidente da República pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, a quem a estatal está vinculada no governo.

 

Segundo apurou a coluna, Silva e Luna e Bento Albuquerque conversaram no início da tarde desta segunda-feira (28/3), quando o ministro avisou o general que Bolsonaro tinha decidido demiti-lo. Bento Albuquerque reforçou a Silva e Luna que o presidente da empresa ficará no cargo até 13 de abril, quando está marcada a próxima assembleia geral dos acionistas da Petrobras.

 

Mesmo já “demitido”, o presidente da petrolífera embarcou no início da noite desta segunda para Brasília, onde participará, na manhã desta terça-feira (29/3), de um evento no Superior Tribunal Militar (STM).

 

Em nota, o Ministério de Minas e Energia divulgou a relação de indicados para compor o conselho de administração da petroleira, que passará a vigorar a partir da confirmação pela Assembleia Geral Ordinária da empresa, que ocorrerá no próximo dia 13 de abril. A relação também coloca o engenheiro Rodolfo Landim para o exercício da presidência do conselho de administração.